VOLUME DE CISTERNAS RURAIS: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA ABASTECIMENTO REGULAR DE ÁGUA

Luan Moreira Fernandes de Almeida, Juliana Farias Araújo, Silvio Roberto Magalhães Orrico, Eduardo Cohim

Resumen


O Programa de Capacitação, Mobilização Social e Convivência com o Semiárido: Um Milhão de Cisternas Rurais - P1MC instalou junto às comunidades rurais do semiárido brasileiro um processo de capacitação que envolverá diretamente um milhão de famílias. Este programa trouxe avanços na melhoria da qualidade de vida da população com a facilidade de acesso à água, porém, apesar dos excelentes resultados alcançados, a estratégia de instalar uma cisterna de 16 mil litros independentemente das variáveis presentes no sistema não se mostrou adequada e suficiente. O presente estudo teve como objetivo avaliar a padronização dessas cisternas no Estado da Bahia, a partir de um modelo diário de balanço hídrico, para suprir a demanda de 20 L/(p.d) a uma confiabilidade de 95% e sob diferentes zonas pluviométricas. Foram utilizados dados da Articulação no Semiárido (ASA) e da Agência Nacional de Águas (ANA) e verificou-se que 60% das residências não teriam essas condições atendidas, ou por insuficiência de área de captação, ou por necessidade de volumes maiores de cisternas. Os outros 40% poderiam ser atendidos com volumes de cisternas menores, concluindo que uma variação nos volumes dos reservatórios e acréscimos nas áreas de captação dos sistemas representaria tanto um aumento na eficiência do programa quanto na aplicação de seus recursos financeiros.


Palabras clave


captação de água de chuva; saneamento rural; abastecimento de água

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2021.14.2.72265