INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO ALIMENTO/MICRORGANISMO E CODIGESTÃO DE PALHA DE MILHO E RESÍDUO ALIMENTAR NA PRODUÇÃO DE METANO

Tiago Borges Ferreira, Timóteo Gomes Parise, Carla Vieira Serufo, Cláudio Leite de Souza

Resumen


O crescimento populacional e alteração da forma de vida presenciada em passado recente têm tornado a geração de resíduos orgânicos e demanda energética questões bastante atuais. A digestão anaeróbia pode proporcionar o tratamento destes resíduos e possibilitar o aproveitamento energético do metano gerado. Assim, o presente trabalho avaliou diferentes condições operacionais visando melhor estabilidade e produtividade do processo.  Foram avaliadas três relações alimento/microrganismo (A/M): 0.20; 0.35 e 0.50 gSV gSV-1, além de três diferentes proporções de resíduo alimentar e palha de milho (RA:PM): 1:1, 3:1 e 5:1. A agitação e temperatura das bateladas foram 125 rpm e 35 °C, respectivamente, utilizando a produção de metano como o principal parâmetro avaliativo. Como resultados, foram verificadas influências isolada e associada dos fatores avaliados, com maiores rendimentos, 408 e 337 mL CH4 gSV-1, aos 30 dias de teste, para a relação A/M 0.20 e proporções RA:PM 3:1 e 1:1, respectivamente. Verificou-se inibição persistente da biodegradação para a relação 0.50 com proporções RA:PM 3:1 e 5:1. Assim, pode-se afirmar que a relação A/M e proporção de substratos em codigestão foram fatores decisivos para a estabilidade do processo e incremento da produtividade em menor tempo de operação.


Palabras clave


bioenergia; biometanização; digestão anaeróbia; tratamento biológico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2021.14.2.71396