Regras descritivas ocidentais e violência contra a mulher por parceiro íntimo

Isabella C. Callou, Tamise M. Bastos, Júnnia M. Moreira, Jackeline M. de Souza

Resumen


Este estudo foi uma replicação de Gomes e Costa (2014) e objetivou verificar a concordância com regras descritivas relacionadas a comportamentos violentos contra a mulher. Foram aplicados 223 questionários a estudantes do Ensino Fundamental II, Médio e Superior de ambos os sexos, das cidades de Juazeiro-BA e Petrolina-PE. O questionário consistiu em 32 afirmativas relacionadas à violência contra a mulher. Para cada item, o participante deveria assinalar sua concordância ou discordância em uma escala que variava de Concordo Totalmente a Discordo Totalmente e assinalar se conhecia alguém que concorde, e ainda poderia escrever algum comentário. Os dados foram analisados por meio de análises descritivas de frequência e testes da estatística inferencial. Foram encontradas correlações fracas a moderadas entre Escolaridade e concordância com determinados itens, sendo que não universitários apresentaram maior concordância do que universitários. A variável escolaridade se mostrou significativa quando à concordância, inclusive superando a variável gênero. Isso indica que a concordância com regras relacionadas à violência contra a mulher pode ser encontrada inclusive entre as próprias mulheres e aponta para a importância da educação na reversão da violência. Porém, não foram avaliadas isoladamente outras variáveis que possam interagir com o nível educacional, tais como renda.

Palabras clave


Violência contra a mulher; Regras descritivas; Estudo correlacional; Análise do Comportamento; Ciúme.

Texto completo:

PDF